Blog da área de Ciência das Religiões (Grupo Lusófona)
.posts recentes

. Diplomatas de Israel proc...

. Papa Bento XVI resigna, d...

. Manuscritos destruídos sã...

. Opus Dei proíbe 79 livros...

. Ramo português da Igreja ...

. Ortodoxos russos e católi...

. Arqueólogos acreditam ter...

. Proibição da circuncisão ...

. Mulher atacada por ultra-...

. Calendário ecuménico Cele...

.arquivos

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

.Google Analytics
Quarta-feira, 10 de Março de 2010
Ehud Barak em fúria contra projeto de colonização em Jerusalém Oriental
Ehud Barak em fúria contra projeto de colonização em Jerusalém Oriental O ministério da Defesa israelita exprimiu hoje, em comunicado, a sua oposição ao anúncio na terça feira de um projeto de colonização em Jerusalém Oriental. “O gabinete do ministro da Defesa, Ehud Barak, exprime a sua cólera depois do anúncio (deste projeto) que perturba as negociações de paz com os palestinianos - negociações do mais alto interesse para Israel”, indica o texto. O gabinete de Barak publicou este comunicado na sequência do anúncio terça feira pelo Ministério do Interior israelita de que autoriza a construção de 1.600 habitações em Ramat Shlomo, um bairro de colonização habitado por judeus ultraortodoxos no sector oriental de Jerusalém, cuja população é maioritariamente de árabes e que foi anexado por Israel em 1967. “Fontes no Ministério da Defesa sublinham que Israel age e agiu desde há longos meses para criar a confiança entre as partes para que estas negociações possam ter início”, adianta o comunicado. O partido trabalhista de Barak tem 13 deputados que se uniram à coligação de direita do primeiro ministro Benjamin Netanyahu, nomeadamente com o objetivo de contribuir para a promoção do processo de paz com os palestinianos. Em visita à região, precisamente para relançar o processo de paz entre Israel e os palestinianos pela via de negociações indiretas, o vice presidente norte-americano, Joe Biden, condenou este projeto e acusou terça feira Israel de “minar a confiança necessária” para as negociações. O ministro do Interior israelita, Elie Yishai, do partido religioso Shass, tentou apaziguar a polémica, assegurando que esta decisão não tinha “nada a ver” com a visita de Biden e indicou que o projeto imobiliário estava planeado há três anos. Fonte: JORNAL DA MADEIRA/LUSA sofia s.
publicado por Re-ligare às 12:07
link do post | comentar | favorito
|
.Google Analytics
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds